Elementos para a

 

BIOGRAFIA

 

 

 

 

 

Dr. MANUEL de ALMEIDA SOUSA

 

 

 

 

 

1955 - 2000

 

 

 

 

" As Obras São Grandes

Quando Os Homens São Maiores"

 

 


 

        Índice

 

 

                De Menino a Pai

                O Educador / Formador

                O Político

                O Dinamizador

                O Desportista

 


 

De Menino a Pai

 

 

Situada no sopé da Serra da Estrela, encontra-se a freguesia de Torroselo, concelho de Seia. Foi nesta aldeia que a 11 de Janeiro de 1955 nasceu uma criança do sexo masculino, a quem foi dado o nome de Manuel de Almeida Sousa, assim baptizado em 19 de Fevereiro de 1955. Foram seus pais Fernando Manuel Sousa e Maria Ascensão de Almeida.

A família Sousa era uma família humilde. Tinha propriedades que amanhavam com as próprias mãos. Os trabalhos no campo e outras actividades ocupavam o ano inteiro. No Inverno varejavam-se as oliveiras e procedia-se à apanha da azeitona. Depois vinha o tempo de lavrar as terras para a sementeira da batata e do milho. De seguida, era preciso preparar as videiras e tratar do cachos a despontar. Foi neste ambiente de trabalho duro que os filhos do casal Sousa foram crescendo. Neste modesto lar existia um ambiente de uma família cristã. As crianças, juntamente com o leito materno bebiam a fé.

 

Manuel de Almeida Sousa frequentou a Escola Primária de Torroselo. Era um rapaz alegre e brincalhão. Terminada a instrução primária, ingressa no Seminário do Fundão que frequenta ao longo de cinco anos, transitando posteriormente para o Seminário Maior da Guarda, a fim de prosseguir os seus estudos. Permanece aí algum tempo, tendo vindo mais tarde a ingressar no ensino regular. De regresso à sua aldeia, e enquanto aguardava a sua entrada na faculdade, leccionou a disciplina de Latim no Colégio Simões Pereira em Seia. Posteriormente matricula-se na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde concluiu a sua licenciatura em História a 11 de Julho de 1979.

 

         É na sua aldeia pacata, de uma beleza simples e serrana, que conhece Maria Emília que aí tinha sido colocada como professora Primária. Entre os dois, começou uma amizade que viria a culminar num amor profundo. Este amor, levou-os a unirem as suas vidas pelos laços do sacramento do matrimónio celebrado a 26 de Agosto de 1978 na Igreja Paroquial de São Paio, numa cerimónia presidida pelo Sr. Padre Hermínio Guilherme Rafael.

 

 

 

Do seu casamento nasceram duas filhas, Ana Claudia Gaspar de Almeida Ferrão e Sousa (10 de Janeiro de 1980) e Maria João Gaspar de Almeida Ferrão e Sousa (10 de Abril de 1981). Manuel Sousa foi sempre um pai excepcional e um modelo a seguir. Manifestou sempre um gosto e um carinho muito especial em cuidar e acompanhar o crescimento e educação das suas “meninas”, tarefa que tão bem e extremosamente desempenhou ao longo de vários anos e, que não viria a concluir em virtude de um fatídico acidente que o vitimou a 25 de Março de 2000, na flor dos seus 45 anos de vida.

Voltar


 

 O Educador/Formador

                           

 

Após a sua licenciatura, e entre os anos de 1975 e 2000, desempenhou funções docentes como professor de História/Português em várias escolas (Sabugal, Covilhã, Sesimbra, Oliveira do Hospital, Loriga, Seia e S. Romão), onde também desempenhou cargos directivos.

 

Para além desta actividade, Manuel de Almeida Sousa conjuntamente com António Eduardo Santos Mendes, fundou em 1991 a Escola Evaristo Nogueira em S. Romão, onde desempenhou funções de Director Pedagógico.

Poderemos com verdade afirmar, que este Projecto foi a concretização de um dos maiores sonhos da sua vida. Sonho que alimentou e em que seriamente se empenhou, uma vez que a sua sensibilidade perante os problemas e desafios ligados à educação/formação da juventude, o levaram a lutar por algo em que acreditava “fazer a diferença no seu meio”. As necessidades educativas e os problemas sociais assim o exigiam. Com a nova Escola procurou implementar projectos/ideias, de forma a poder oferecer um modelo pedagógico inovador. Com este projecto, e sempre que possível, tentava responder aos problemas e capacidades individuais de cada aluno, com planos de apoio individualizados, oferecendo actividades de complemento curricular. Todas as actividades desenvolvidas contribuíram para uma maior dinâmica cultural em S. Romão. Assim, a Escola tornou-se um espaço onde todos se sentem integrados e onde podem aprender com alegria, facilitando todo o processo de ensino/aprendizagem.

 

 

Neste espaço, pôs em prática a pedagogia dos afectos - através do diálogo e do carinho, conseguiu dar respostas aos problemas bastante diversificados que diariamente enfrentava. O acreditar na validade do seu projecto, sempre o levou a cultivar os valores da amizade e do respeito pelo outro, valores esses que transmitiu à comunidade educativa a quem tanto queria.

 

Daqui poderemos afirmar que Manuel Sousa foi um Homem que soube estar à altura do seu tempo, não se limitando a simples observador mas antes a assumir um papel interventivo, lutando sempre pela educação do Homem todo e de todo o Homem. Este, é sem dúvida um dos projectos que perpétua a sua memória ao longo do tempo, projecto nunca acabado mas sempre aberto aos desafios dos novos tempos.

 

Como formador foi vasto o campo de acção desenvolvido por Manuel Sousa. De salientar a sua participação em múltiplos seminários e conferências, das quais podemos referir, entre outras, as seguintes:

"A integração do aluno problema" - Oliveira do Hospital - 1982

"O ensino individualizado" - Oliveira do Hospital - 1985

“Dinâmica de grupos” - para jovens escuteiros da Região Centro – Arganil – 1985

“Cultura e desenvolvimento no concelho de Seia” – Fórum, Escola Secundária de Seia – 1994

“O reflexo do Alcoolismo na Escola“ – para médicos e enfermeiros, Guarda - 1996

“Relação pedagógica dos auxiliares da educação” – São Romão - 1996

“O Ensino particular como ensino de excelência” – Sameiro/ Braga - 1996

“ Flexibilidade curricular” – São Romão- 1998

“Reflexão participada sobre currículos do Ensino Básico” - São Romão - 1998

“Autonomia e gestão” – Póvoa das Quartas - 1998

“O Perfil do bom Auxiliar da Educação”- São Romão - 1997

“ Estratégias para uma boa relação pedagógica” – São Romão - 1998

“A indisciplina na escola” – São Romão - 1998

Destaca-se ainda a organização do primeiro Fórum da Escola Evaristo Nogueira que decorreu no ano de 1995 e que teve como tema " Educação. Que Futuro?", sendo coordenador de todos os Fóruns seguintes inclusive o do ano 2000, ocorrido já depois do seu falecimento.

 

Foi ainda autor da elaboração de parecer, a pedido de Associação de Escolas do Ensino Particular, sobre o Pacto Educativo para o futuro (1996) e elaborou também um parecer crítico sobre a Lei de Bases do Pré-Escolar para a Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia. De relembrar toda a sua actividade enquanto Membro da Direcção Nacional da A.E.E.P. e Subdelegado da Zona Centro da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular.

 

A Interligação entre a Escola e a Comunidade tiveram em Manuel Sousa um pioneiro e intérprete.

 

 

Voltar


 

 O Político

 

 

 

O campo político sempre ocupou papel importante na vida e obra de Manuel Sousa, e de entre as actividades desenvolvidas neste sector, referimos a sua eleição como Presidente da Junta de Freguesia de Torroselo em 1978, cargo que ocupou até 1982.

Em 1986 foi eleito pelo Partido Socialista, Presidente da Assembleia Municipal, cargo que desempenhou durante dois mandatos, até 1991.

No ano de 1996, indicado pelo Partido Socialista, foi mandatário no concelho de Seia, da candidatura de Jorge Sampaio à Presidência da República.

Foi ainda autor de vários pareceres nomeadamente, a elaboração dos documentos para a Assembleia da República que viriam a tornar possível a elevação de Seia a Cidade; de S. Romão, Loriga, Paranhos a Vila e Lapa dos Dinheiros a Freguesia.

 

 

Voltar


O Dinamizador

 

 

·        Cultural

 

Desde muito cedo a vertente cultural ocupou lugar central na sua vida. A sua terra sempre lhe mereceu lugar de destaque, pois Manuel Sousa mantinha desde há muitos anos uma forte ligação às colectividades de Torroselo - Banda Torroselense “Estrela D’Alva” e Grémio Torroselense, a quem ultimamente dedicou muito do seu tempo, fazendo-se rodear de uma jovem equipa, a quem sempre soube imbuir de um espírito criativo e dinâmico.

Com um grupo de jovens, no qual se incluía a sua esposa, criou o "Cancioneiro do Alva", grupo de cantares tradicionais. Foi ainda responsável Técnico pelo Grupo de Teatro da Casa do Povo de Torroselo (1974/1979). Já fora dos domínios da sua terra natal, foi Presidente da Assembleia Geral do Rancho Folclórico de Seia de Dezembro de 1994 a Dezembro de 1998, Membro da Assembleia Geral dos Bombeiros de S. Romão e do Conselho Fiscal da Casa de Repouso de Folhadosa, etc.

No que toca à imprensa regional, foi Director de Jornais Escolares "Diálogo" e "Escola & Família", Sub-Director do Jornal Notícias da Serra (Seia) e colaborador permanente em diversos jornais Locais e Regionais.

Com o objectivo, de que a cultura e o gosto pela leitura se estendesse a um cada vez maior grupo de pessoas, criou conjuntamente com António Eduardo a Livraria “Silva Gaio” sediada em São Romão, como espaço aberto aos valores por ele defendidos no campo da literacia.

 

 

 

 

·        Social

 

Da vasta acção desenvolvida por Manuel de Almeida Sousa no espaço social, seriam muitos os aspectos a destacar, desde a sua sensibilidade colocada ao serviço dos menos bafejados pela sorte, em ordem à solução dos seus problemas e dramas pessoais e familiares, bem como a sua pertença e intervenção em muitas associações do concelho de Seia, como bem atestam a história das mesmas.

Permitimo-nos apenas referir que, alimentava nos últimos tempos da sua vida mais um grande sonho. Em conjunto com o Pároco da sua terra, Rogério Miranda, tinha em mãos uma grande Obra - a construção do Centro Social e Paroquial de Torroselo. Este Centro que era um sonho, esperemos que em breve se torne realidade.

Uma última nota vai para a sua participação como Membro da Comissão Instaladora do Museu do Têxtil em Seia.

 

 

 

Voltar


 O Desportista

 

 

O desporto era, afinal, uma outra das suas preferências, e não era difícil resistir às virtudes e prazer que sentia ao praticá-lo, nos poucos intervalos que as suas preocupações e ocupações lhe proporcionavam.

Foi ele o grande incentivador e dinamizador do Raid Todo-o-Terreno de Torroselo. Fez ainda parte da equipa de Futebol do Clube de Oliveira do Hospital.

Por ironia do destino foi este seu gosto pelo desporto, pela aventura e pela natureza, que pôs termo ao seu imenso desejo de viver e de conviver.

 

 


 

 

 

 

 

  

Manuel de Almeida Sousa foi um Homem que soube levar um pouco de felicidade a todos aqueles com quem era chamado a viver.

Voltar